Coes 2016

Pesquisar:

Mostrando de 141 a 143 de 143.

Uso de resinas de diferentes contrações de polimerização na reconstrução de raízes enfraquecidas: um estudo numérico

Carolina Santos Santana FERREIRA

Mestre em Clínica Odontológica (UFES) - Universidade Federal do Espírito Santo

Coautores:

Claudia Machado de Almeida MATTOS

Doutora em Engenharia Mecânica (UFMG) - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

Jackeline Coutinho GUIMARÃES

Doutora em Odontologia (UFSC) - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

A reconstrução cervical prévia de raízes enfraquecidas de dentes com tratamento endodôntico por meio de materiais adesivos tem sido sugerida, devido às propriedades mecânicas favoráveis desses materiais. Contudo a contração de polimerização da resina composta deve ser minimizada, para garantir uma adesão adequada. Objetivos: Este estudo investigou pelo método dos elementos finitos, a influência da contração de polimerização das resinas compostas no comportamento mecânico de raízes enfraquecidas de dentes tratados endodonticamente, após reconstrução radicular adesiva. Métodos: O programa Ansys 12.0 (Canonsburg, PA, EUA) foi utilizado para modelagem e processamento. Foram confeccionados 2 modelos geométricos tridimensionais representando um incisivo central superior com raiz enfraquecida, restaurado com pino/núcleo/coroa cerâmica e paredes radiculares reconstruídas internamente com: resina híbrida fotopolimerizável (Filtek Z250–3M ESPE, MN, EUA)(Modelo 1 - pino anatômico); resina de baixa contração fotopolimerizável (Surefil SDR–Dentisply, DE, EUA) (Modelo 2A - técnica direta); ou resina para núcleo de preenchimento de polimerização dual (Clearfil DC Core Automix – Kuraray Medical Inc., Tokyo, Japão) (Modelo 2B - técnica direta). Uma carga estática de 100N foi aplicada na superfície palatina dos três modelos. A distribuição das tensões máximas (S1) e mínimas (S3) foi analisada nas raízes, na reconstrução e na camada de cimento. Resultados: A magnitude de S1 na raiz indicou possibilidade de falha por tração na dentina radicular nos Modelos 2A e 2B. A análise apontou um prognóstico desfavorável para as reconstruções de raízes fragilizadas pela técnica direta, devido à possibilidade de falha também nas interfaces adesivas. Os resultados deste estudo sugerem que, quando necessária, a reconstrução deve ser realizada com resina composta híbrida fotopolimerizável pela técnica do pino anatômico.

Análise de elemento finito Materiais restauradores do canal radicular Resinas compostas

Uso do Emdogain e Mucograft no tratamento de recessões gengivais: relato de caso

Fernanda Felix Cordeiro DIAS

Especialista - Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP/UNICAMP)

Coautores:

João Paulo Menck SANGIORGIO

Mestre - Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP/UNICAMP) - Londrina -

Enilson Antônio SALLUM

Doutor - Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP/UNICAMP) - Piracicaba - SP

Márcio Zaffalon CASATI

Doutor - Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP/UNICAMP) - São Paulo - SP

Introdução: A retração do tecido marginal constitui-se do deslocamento da margem gengival apical para a junção cemento-esmalte, com exposição da superfície radicular, levando muitas vezes a hipersensibilidade, retenção de biofilme, cárie radicular e comprometimento estético. A hipersensibilidade radicular e exigência estética do paciente constituem as principais indicações para o tratamento das recessões gengivais. Os fatores etiológicos das recessões no tecido marginal são: a) inflamação periodontal induzida por placa e b) trauma causado pela escovação. Controlar esses fatores previamente às cirurgias corretivas é fundamental para o sucesso do tratamento e para prevenir sua recidiva. Objetivo: apresentar a viabilidade clínica da associação de matriz de colágeno (Geistlich Mucograft) com proteínas da matriz de esmalte (Emdogain), como alternativas ao enxerto subepitelial de tecido conjuntivo. Métodos: uma paciente foi submetida a cirurgia de recobrimento radicular nos elementos 12, 13 e 14 usando a técnica de retalho reposicionado coronariamente com o uso dos biomateriais Mucograft e Emdogaim. Resultados: foi obtido cobertura radicular completa e após 2 anos de acompanhamento, não houve recidiva do caso. Conclusão: os biomateriais utilizados na cirurgia de recobrimento, no presente relato, parecem estabelecer previsibilidade e segurança no tratamento de recessões gengivais. O projeto foi aprovado pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba sob o número de protocolo 067/2013.

Retração Gengival Materiais biocompatíveis Estética

USO DO GUIA CIRÚRGICO NA EXÉRESE DE HIPERPLASIA DE TUBEROSIDADE MAXILAR - RELATO DE CASO

Luiz Filipe Nakasone Peel Furtado de OLIVEIRA

Graduando de Odontologia. - Universidade Federal do Espírito Santo

Coautores:

Daniela Nascimento SILVA

Doutora em Odontologia. - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

Rossiene Motta BERTOLLO

Doutora em Odontologia. - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

Janielle Silva Donato

Graduando de Odontologia. - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

Wellen Góbi BOTACIN

Graduando de Odontologia. - Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória - ES

Introdução: As cirurgias pré-protéticas visam o preparo cirúrgico dos tecidos bucais remanescentes visando a confecção e a instalação da prótese dentária. A hiperplasia de tuberosidade maxilar pode ser causada por excesso de tecido ósseo ou de tecido mole, ou ambos. O guia cirúrgico é utilizado na delimitação da quantidade de tecido a ser removido. Objetivos: Apresentar um relato de caso clínico de um tratamento cirúrgico de redução de tuberosidade maxilar, com utilização do guia cirúrgico confeccionado em resina acrílica para determinação da porção do rebordo alveolar a ser removida cirurgicamente. Métodos: Descrição de um caso clínico de uma paciente atendida na disciplina de Cirurgia Bucomaxilofacial II do Curso de Odontologia da Universidade Federal do Espírito Santo. Paciente do sexo feminino, leucoderma, 45 anos, com aumento de volume na região de tuberosidade maxilar do lado direito do rebordo alveolar edêntulo, perceptível tanto clínica como radiograficamente, impossibilitando a confecção da prótese dentária. O guia cirúrgico foi confeccionado a partir do modelo de gesso do rebordo superior e foi realizada a demarcação da porção do rebordo a ser removida. A paciente foi submetida à remoção cirúrgica da hiperplasia de tuberosidade, utilizando o guia protético. Resultados: O tratamento se mostrou adequado devido ao sucesso da técnica de exérese de tuberosidade maxilar orientada pelo guia cirúrgico, restabelecendo precisamente o contorno do rebordo alveolar. Após a cicatrização da mucosa bucal, a paciente foi encaminhada para a confecção da prótese dentária total. Conclusão: A despeito do guia cirúrgico aumentar o custo e o tempo do tratamento, ele se mostra vantajoso ao planejamento pois determina a quantidade necessária de tecido excedente a ser removido, minimizando os riscos de uma comunicação bucosinusal indesejável, diminuindo o tempo cirúrgico e aumentando a previsibilidade do procedimento. Número CAAE do CEP/UFES: 1.565.453. Data: 25.05.2016.

Cirurgia bucal Prótese total Procedimentos cirúrgicos ambulatoriais

Associação Brasileira de Odontologia - Seção Espírito Santo

Endereço:
R. Henrique Martins Rato, 40, Nossa Senhora de Fátima - Serra, ES, CEP 29160-812


Telefones:
- Geral: (27) 3395 1450
- Tesouraria: (27) 33951455 / 1456 
- Secretaria: (27) 33951460 / 1461 

E-mail:
uniabo@aboes.org.br